domingo, 29 de agosto de 2010

Trabalhando sempre



26 E a visão da tarde e da manhã, que foi dita, é verdadeira. Tu, porém, cerra a visão, porque se refere a dias mui distantes.

27 E eu, Daniel, desmaiei, e estive enfermo alguns dias; então me levantei e tratei dos negócios do rei. E espantei-me acerca da visão, pois não havia quem a entendesse.
                                                                           Daniel 8:26,27


   Daniel, depois de uma espantosa e grandiosa visão caiu enfermo, mas logo se levantou e foi tratar dos negócios que lhe havia sido entregue, para administrar.
 Acredito que Daniel adoeceu pelo fato de sua “carne” não ter suportado tão imensa glória de Deus.
 A nossa carne sempre irá conflitar com as coisas de Deus, isso é fato. Não devemos dar importância ao que a carne diz... Daniel poderia ficar deitado, prostrado pela sua enfermidade, mas ele fez o que devia ser feito. Se pos de pé em fé e tratou de cumprir o seu chamado naquele local.
 Devemos cuidar do nosso corpo, porque é templo de Deus, mas nunca poderemos nos prostrar-mos mediante ao cansaço ou até mesmo alguma doença que venha nos atingir. Como guerreiro que somos nos levantemos em fé e ponhamos a maão na massa, cumprindo o propósito do nosso Senhor Jesus.



13 Ora, temos o mesmo espírito de fé, conforme está escrito: Cri, por isso falei; também nós cremos, por isso também falamos,

14 sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus, nos ressuscitará a nós com Jesus, e nos apresentará convosco.

15 Pois tudo é por amor de vós, para que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar a ação de graças para glória de Deus.

16 Por isso não desfalecemos; mas ainda que o nosso homem exterior se esteja consumindo, o interior, contudo, se renova de dia em dia.

17 Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória;
                                                                                             II COR 4:13-17

A Fornalha

O rei Nabucodonozor fez um decreto: Todos deviam adorar a estatua de ouro ao ouvir o som de flautas, sautérios... Era uma adoração completa, muito parecido com a adoração de Israel que por diversas vezes adorou depois de ouvir o som dos Levitas e prostravam-se todos ao chão,mas essa adoração imposta era a uma imagem que não merecia nenhuma reverência. Por isso alguns judeus mas precisamente três deles não obedeceram.
 Daniel e seus amigos não se prostaram mesmo sabendo do preço: ser queimado em uma fornalha.


"Há uns homens judeus, os quais constituíste sobre os negócios da província de babilônia: Sadraque, Mesaque e Abednego; estes homens, ó rei, não fizeram caso de ti; a teus deuses não servem, nem adoram a estátua de ouro que levantaste."
                                                                                                                                                      Dn 3:12

 O rei naturalmente ficou muito nervoso, mas eles não voltaram atrás.

"Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; ele nos livrará da fornalha de fogo ardente, e da tua mão, ó rei.
E, se não, fica sabendo ó rei, que não serviremos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste.
Então Nabucodonosor se encheu de furor, e mudou-se o aspecto do seu semblante contra Sadraque, Mesaque e Abednego; falou, e ordenou que a fornalha se aquecesse sete vezes mais do que se costumava aquecer.
E ordenou aos homens mais poderosos, que estavam no seu exército, que atassem a Sadraque, Mesaque e Abednego, para lançá-los na fornalha de fogo ardente.
Então estes homens foram atados, vestidos com as suas capas, suas túnicas, e seus chapéus, e demais roupas, e foram lançados dentro da fornalha de fogo ardente.
E, porque a palavra do rei era urgente, e a fornalha estava sobremaneira quente, a chama do fogo matou aqueles homens que carregaram a Sadraque, Mesaque, e Abednego.
E estes três homens, Sadraque, Mesaque e Abednego, caíram atados dentro da fornalha de fogo ardente."
                                                                                                                                                   Dn 3:17-23

 Quantas vezes o inimigo nos coloca em uma situação de decisão, onde temos que escolher: adorar outros deuses (fazendo a vontade da carne) ou irmos para a fornalha (cruz) e confiarmos que Deus esta no controle.
 Repare que YHWH permitiu eles serem jogados na fornalha, mostrando assim onde estavam o coração desses Judeus.

Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia.


Dirigindo-se a buscar



   Daniel, entendeu que o sofrimento de Jerusalém duraria setenta anos, mas na verdade duraria setenta semanas. Ele só pode descobrir isto a partir do momento que esteve com lágrimas clamando à favor do seu povo. A partir de sua atitude, ele pode estar ouvindo a YHWH e sabendo que seria apenas 70 semanas.

21 sim enquanto estava eu ainda falando na oração, o varão Gabriel, que eu tinha visto na minha visão ao princípio, veio voando rapidamente, e tocou-me à hora da oblação da tarde.

22 Ele me instruiu, e falou comigo, dizendo: Daniel, vim agora para fazer-te sábio e entendido.

23 No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem, e eu vim, para to declarar, pois és muito amado; considera, pois, a palavra e entende a visão.

24 Setenta semanas estão decretadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para fazer cessar a transgressão, para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o santíssimo.
   Repare que o povo estava em rebeldia, tendo o mesmo comportamento do mundo... Nos dias de hoje não é diferente temos lutado contra as potestades de idolatria e feitiçaria (rebeldia). Os pecados permanecem os mesmos, porém a atitude de um servo que se coloca na brecha para clamar, faz toda a diferença. Imagine se toda a igreja se propõe a clamar... Haverá mudança dos tempos e sinais.
 Que a igreja se levante em santidade, com o coração em súplicas para vermos a mudança de nossa nação.

2 no ano primeiro do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número de anos, de que falara o Senhor ao profeta Jeremias, que haviam de durar as desolações de Jerusalém, era de setenta anos.

3 Eu, pois, dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, e saco e cinza.

4 E orei ao Senhor meu Deus, e confessei, e disse: Ó Senhor, Deus grande e tremendo, que guardas o pacto e a misericórdia para com os que te amam e guardam os teus mandamentos;

5 pecamos e cometemos iniqüidades, procedemos impiamente, e fomos rebeldes, apartando-nos dos teus preceitos e das tuas ordenanças.

6 Não demos ouvidos aos teus servos, os profetas, que em teu nome falaram aos nossos reis, nossos príncipes, e nossos pais, como também a todo o povo da terra.

domingo, 8 de agosto de 2010

Crescendo como Daniel



 Olhe o currículo que Daniel e seus amigos atenderam mediante a oferta de trabalho do rei Nabucodonozor

"Jovens em quem não houvesse defeito algum, de boa aparência, e instruídos em toda a sabedoria, e doutos em ciência, e entendidos no conhecimento, e que tivessem habilidade para assistirem no palácio do rei, e que lhes ensinassem as letras e a língua dos calde
us                                                                                                                                                    Dn 1:4

 Eles tinham que ser bonitos, bem instruidos, aptos para ensinar, muito inteligentes...
 Daniel era um homem muito cheio de Deus, com um coração humilde. Ele poderia ser uma pessoa soberba por ter tantas qualidades e estar em um posição elevada.

 Daniel não se contaminava de nenhuma forma com o sistema do mundo. Sabia fazer amizades, tanto que ganhou os servos do rei.



"E Daniel propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não se contaminar.
Ora, Deus fez com que Daniel achasse graça e misericórdia diante do chefe dos eunucos."                Dn 1: 8,9


 Um adorador que reconhecia que tudo vinha de Deus:


"Falou Daniel, dizendo: Seja bendito o nome de Deus de eternidade a eternidade, porque dele são a sabedoria e a força;
E ele muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis; ele dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos entendidos.
Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz.
O Deus de meus pais, eu te dou graças e te louvo, porque me deste sabedoria e força; e agora me fizeste saber o que te pedimos, porque nos fizeste saber este assunto do rei"                                                              Dn 2: 20-23


Por ser um adorador em potencial e prática, o Senhor o abençoou grandemente.

"Então o rei engrandeceu a Daniel, e lhe deu muitas e grandes dádivas, e o pôs por governador de toda a província de babilônia, como também o fez chefe dos governadores sobre todos os sábios de babilônia."                  
                                                                                                                                                    Dn 2:48


 Nossa, a vida de Daniel é muito desafiadora, tudo que ele recebeu soube administrar, não perdeu o foco .
Muitas vezes queremos ser bem sucedidos, mas não pagamos o preço, e quando somos abençoados esquecemos de bendizer o que de fato faz tudo por nós.
 Daniel, não possuia o valor que o mundo tem apesar de ter todas as coisas que o mundo tanto valoriza: beleza, inteligência, boa colocação no mercado (reino)... Ele só tinha olhos para cumprir o propósito do Pai.

Desejemos chegar onde Daniel chegou em todos aspectos, e o dia que viermos a ganhar grandes dádivas, não deixemos de exultar ao Nosso Grande Rei: JESUS, que se fez nada para ganhar o Mundo.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Semeando certo

 Mateus 13:6-8

E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear.
E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na;
E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda;
Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz.
E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na.
E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta.

 Jesus vêm trazendo por meio de parábolas a estória de um semeador que lançou a semente enquanto caminhava. Podemos observar que este semeador não semeou de forma diligente ele simplesmente lançou as sementes, fazendo que 90% não desse fruto por haver caído em lugares errados.
 Quando penso em cuidado com as vidas que Deus traz à nós, penso que o sucesso da frutificação depende de como lançamos a semente, de como cuidamos pra que ela caia no local certo.

Mateus 13:18-23
 Escutai vós, pois, a parábola do semeador.
Ouvindo alguém a palavra do reino, e não a entendendo, vem o maligno, e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o que foi semeado ao pé do caminho.
O que foi semeado em pedregais é o que ouve a palavra, e logo a recebe com alegria;
Mas não tem raiz em si mesmo, antes é de pouca duração; e, chegada a angústia e a perseguição, por causa da palavra, logo se ofende;
E o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera;
Mas, o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta.
  
Vemos que tirando a parte que: ouviu a palavra>entendeu>deu fruto que é uma sequência importante na vida cristã, e um segredo pra a o sucesso na caminhada, as demais de alguma forma foram roubadas.
  Quando semearmos na vida de alguém não devemos lançar a palavra e nos ausentarmos de estar perto. Devemos permanecer e lutar em oração, criar vínculo, ver o discípulo dá "bons frutos".
 "Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria.
Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos."
                                      Salmos 126:5,6 

 Para se obter a semeadura certa, o mais importante é estarmos cheio do Espírito Santo que nos levará a conhecer o solo e de que maneira cuidamos dele, cujo o total cuidado resultará em muitos e lindos frutos para a Glória do Senhor.


"Porque era homem de bem e cheio do Espírito Santo e de fé. E (muita gente) se uniu ao Senhor. "
                                                                                                                Atos 11:24